Guia 2021

Cadastre-se
anuncie

Quem é PLANT está aqui!
plantbasedbr.com

Vem conferir!

MENU
MÍDIA KIT 2021
Download
COTAÇÃO DE INGREDIENTES
GUIA DE FORNECEDORES
CADASTRE SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI


Voltar

Óleo de palma sustentável

O óleo de palma é o óleo vegetal mais consumido no planeta, respondendo por aproximadamente 35% do consumo total. É encontrado em quase 50% de todos os produtos embalados, incluindo alimentos, cosméticos, produtos de limpeza e produtos de higiene pessoal. Os fabricantes de alimentos o utilizam como ingrediente e as empresas de serviços alimentícios o utilizam para fritar. O óleo de palma é ainda encontrado em rações animais e usado como biocombustível em muitas partes do mundo.

É econômico e oferece excelente desempenho de cozimento em uma variedade de temperaturas. A textura cremosa, a ausência de odor e cor o tornam ideal para uma ampla variedade de aplicações. O óleo de palma também atua como conservante natural e pode ser usado para estender a vida útil dos produtos.

No entanto, existem alguns problemas relacionados à produção insustentável de óleo de palma. A palmeira cresce nos trópicos e, historicamente, práticas agrícolas insustentáveis levaram ao desmatamento generalizado das florestas tropicais do mundo, especialmente no Sudeste Asiático. Essa perda de floresta e a subsequente destruição do solo rico em carbono gera milhões de toneladas de CO2 e outros gases de efeito estufa, contribuindo para a mudança climática. Práticas agrícolas ineficientes e desperdiçadoras exacerbaram ainda mais o impacto ambiental da palma.

Como resultado, o óleo de palma foi severamente condenado por muitos, com algumas empresas chegando a parar de usá-lo totalmente e mudando para óleos alternativos.

O cultivo de óleo de palma é a cultura de óleo vegetal mais eficiente, produzindo mais óleo por acre de terra do que qualquer outra cultura e respondendo por 35% do óleo vegetal do mundo, em apenas 10% da terra usada para cultivar culturas de óleo vegetal.

Na maioria dos casos, a mudança para uma alternativa, como soja, coco, girassol ou colza, apenas transfere os problemas associados à produção para outras áreas, ou os agrava. Outras culturas oleaginosas requerem entre quatro e 10 vezes mais terra e, consequentemente, podem ter um impacto ainda maior nas questões globais de desmatamento e destruição de habitat.

O relatório mais recente da IUCN (Oil Palm and Biodiversity) descobriu que a transição para outras culturas de óleo simplesmente transfere o desmatamento para outras regiões - principalmente da Ásia para a América do Sul. O relatório revelou, ainda, que a perda líquida de biodiversidade associada ao uso de alternativas é significativamente pior do que a causada pelo óleo de palma.

O mesmo relatório sugere que a forma mais sustentável de avançar em termos de biodiversidade está na palma da mão; evitar mais desmatamento, melhorando o planejamento de novas plantações de palmeiras e melhorando o manejo da floresta.

O óleo de palma é uma indústria enorme e dezenas de milhões das pessoas mais pobres do mundo dependem da produção de palma para seu sustento. É uma safra vital para o PIB das economias emergentes - e mudar para outras soluções pode levar milhões à pobreza extrema.

Com o aumento da população global, a oferta de óleo vegetal precisará aumentar para atender a demanda. A palma oferece o melhor caminho para isso, contanto que seja produzida de maneira sustentável.

Nos últimos 15 anos, muita coisa mudou na indústria do óleo de palma. A crescente conscientização e preocupação com o impacto da palma insustentável transformou os métodos de produção e o setor fez avanços incríveis para melhorar suas credenciais de sustentabilidade.

O aumento da produção sustentável de palma tem sido um esforço global, impulsionado pelos esforços combinados de governos, instituições e organizações como a Roundtable on Sustainable Palm Oil (RSPO). Trabalhando com a indústria, a RSPO desenvolveu padrões projetados para melhorar a sustentabilidade em várias áreas-chave e uma série de esquemas de certificação para garantir a conformidade.

À medida que o movimento do óleo de palma sustentável ganha impulso, a indústria global de palma tem investido pesadamente na superação dos desafios da cadeia de suprimentos e logística para melhorar a rastreabilidade e a disponibilidade. Mais recentemente, os padrões RSPO foram fortalecidos e um número crescente de empresas de óleo de palma adotou políticas de Não-desmatamento, Não-turfa e Não-Exploração (NDPE).

Uma década atrás, era virtualmente impossível obter óleo de palma sustentável. Hoje, o óleo de palma sustentável certificado pela RSPO está disponível em todo o mundo.

Foi uma longa jornada e ainda há mais a ser feito, mas hoje o óleo de palma pode ser uma opção verdadeiramente sustentável. Agora cabe aos consumidores, fabricantes, pontos de venda e fornecedores tomar as decisões certas na hora de comprar.

Fonte: New Food Magazine




Envie uma notícia



Telefone:

11 3628-6931       11 99834-5079

Newsletter:

Fique conectado:

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Srg. Lourival Alves de Souza
130 - Conj. 113 - 1˚ Andar
04675-020 - Jardim Taquaral
São Paulo, SP - Brasil

001